segunda-feira, 31 de março de 2008

Livro

Livro

As páginas daquele livro
foram rasgadas.
O que nele estava escrito
já não me agradava.
Por mim nunca foi lido
aquilo que eu esperava.
Não foi o que li,
mas o que não li
que me deixou irritada.
Não estavam lá
um amor romanesco
nem um cavaleiro picaresco.
Não tinha príncipe nem fada.
Aquelas frases deviam ser apagadas
e o livro jogado num fogueira.
Como pode um monte de folhas
trazer-me tanta tristeza?
Não havia palavras doces
nem poemas homéricos.
Auto, conto ou que fosse
um simples romance patético.
Se até fossem receitas
seria mais literário.
O livro que tanto me irrita
é apenas o meu diário...

31/08/06

2 comentários:

mari disse...

AAHhhhhhhhhhhhhh!!!!!!!!!!!!

SOU SUA FAN!!!! hauhaauhuah

mas isso é sério!!! Muito lindo, perfeito, inesperado!!!! Amei.

;o)
Luz!

João Neves disse...

Caraaaaaaaaaacaaaaa!!!!

eu adoreeiii esse poema!!!!!

muito foda!