sábado, 8 de março de 2008

Escrevi mas não mandei

Escrevi mas não mandei

Escrevi um poema pra você,
mas não tive coragem
de entregá-lo quando o fiz.
Pensei em apagá-lo,
rasgá-lo, em dar um fim!
Não podia deixar vestígios
do sentimento sem sentido
que é sentido por mim.
Mas tem coisas que
são simplesmente indeléveis.
Mesmo que o poema
desaparecesse de vez,
ainda estaria escrito aqui
na minha mente confusa,
no meu coração afoito.
Aflita, o guardei sem medo
num lugar escondido,
onde ninguém poderá achá-lo.
E lá, juntamente a ele,
está meu amor repentino,
não por isso menor
nem menos verdadeiro.
Você não sabe nada
além do que eu disser.
Não sabe as palavras
que eu nele utilizei
nem a forma, nem a rima
Você não sabe um verso,
talvez nunca saberá!
Apesar disso, sabe que escrevi.
Escrevi, mas não mandei...

Lenita, 08/03/08

3 comentários:

Leidiane disse...

uauuuuu muito legal ^^

Luís Carlos de Morais Junior disse...

Érato musa do amor e da poesia do amor
Bom ver você por aqui seja isto aqui o que for
E onde esteja o desejo
E onde eu
Sempre canto o canto meu
Mas que na verdade é sempre seu
Como eu
Minha musa do amor

Luís Carlos de Morais Junior disse...

i keep on wandering and wondering to read the forbidden, ie., the secret one