domingo, 6 de junho de 2010

Dúvida

Frágil a ponto de ser inquebrável,
pois já não há o que despedaçar...
Derradeira vontade em vão
de ainda tentar divagar.
O que era crença transborda
do cálice da certeza absorta
e derrama sobre a dúvida,
eterna e indissoluta...

Um comentário:

jorge manuel brasil mesquita disse...

A fragilidade bebe-se no cálice da sensibilidade e a sensibilidade escreve-se como um bordado de finíssimas veias de vida.
Jorge Manuel Brasil Mesquita
Escrito e postado na Biblioteca Nacional, em 12/06/2010 às 12h34
etpluribusepitaphius.blogspot.com