terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Fraco

Tenho um fraco por ilusões
desmedidas, fertéis.
Acredito no que pressinto,
duvido do que vejo.
Leio o que não está
escrito na tua testa,
mas sim na tua lábia
que não me faz sequer falta .

2 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Ah, vc anda bem de poema, heim? rs Adorei!
Bjos

citadinokane disse...

Lenita,
Um feliz natal!
Continue com a poesia, precisamos...